Aumento da Produção de Soja: Desafio do Brasil

Dr. Eros Francisco


A produtividade média da soja tem aumentado nas últimas décadas em muitas áreas do mundo, porém, um platô parece ter sido alcançado em algumas situações, sendo o Brasil um caso típico. Um artigo co-escrito por Dr. Eros Francisco, Vice-Diretor do IPNI, Programa Brasil, publicado recentemente no Better Crops, resume as principais razões porque isso aconteceu no segundo maior país produtor de soja do mundo e o que os agricultores precisam vencer para quebrar essa barreira.
Em 2013, a produção de soja no Brasil ficou em segundo lugar no ranking mundial, com 81,5 milhões de toneladas, mas tem potencial para se tornar a maior do mundo. A evolução tecnológica da agricultura durante a década de 1990, incluindo melhoramento genético, novas moléculas fungicidas/inseticidas, cepas mais eficientes de rizóbios fixadores de nitrogênio e melhores práticas de manejo de nutrientes na região do Cerrado, foi crucial para o aumento da produção de soja até a média atual de 3 t ha-1. Altos rendimentos de soja no Brasil são comuns em regiões onde as práticas agronômicas e a nutrição das plantas são usadas ​​corretamente. No entanto, produtividades situadas entre 3,6 e 4,0 t ha-1 correspondem a 75% e 85% do rendimento atingível. Isto suscita algumas questões importantes. Quão longe está o Brasil de atingir rendimentos máximos de soja? Quanto se conhece do complexo conjunto de interações entre sistemas de cultivo e ambiente de produção? "A intensificação ecológica do sistema de cultivo representa uma enorme vantagem para as regiões do mundo nas quais duas ou mais culturas podem ser cultivadas em uma estação, porém é altamente dependente de um sistema operacional rápido para a colheita de grandes áreas em curto espaço de tempo", comentou Dr. Francisco.

Mais informações: Interactions